SISTEMA DE GRADUAÇÃO

O sistema de graduação utilizada pelo Centro Cultural Arte Luta N'GOLO Capoeira, segue a mesma elaborada por aspectos vivenciais e esotéricos do negro em reconhecimentos à importância do seu legado sócio-histórico-cultural no Brasil. Embora, haja uma relação com os domínios de irradiação dos Orixás do Candomblé e da Umbanda, esta ligação é de conotação meramente metafísica e filosófica, desnvinculada de qualquer indução ou orientação para alguma prática religiosa. (Ver Idiopráxis de Capoeira - Mestre Zulu, 1995, p. 77).


Cor da corda: AZUL - Categoria: ALUNO

- Fase Social do Negro - Fase do Negro Cativo
Representa o período compreendido entre o aprisionamento do negro na África, o seu tranporte pelo mar e sua venda em terras brasileiras.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Iemanjá, que está no mar e nas areias, onde reina augusta e soberana.

- Relação Metafísica:
As viagens dos cativos eram verdadeiros martírios em alto-mar, o mar e suas areias constituem domínios de Iemanjá, assim os negros cativos estavem sob a proteção esotérica da soberana rainha do mar. Cor representativa de Iemanjá - Azul.


Cor da corda: MARROM - Categoria: ALUNO

- Fase Social do Negro: Fase do negro escravo - Representa a fase em que o negro é patrimônio de um senhor, submetido ao trabalho escravo, perdendo toda esperança de liberdade para o corpo e para a alma.

- Domínio de Irradiação do Orixá: O domínio fisioesotérico é de Xangô que está no trovão, nos raios e no fogo.Grande guerreiro, guardião do céu e da terra.

- Relação Metafísica: Desarraigar o negro de sua terra natal África, significou a perda total de liberdade, estando ele fora do âmbito da terra e do céu da África, Xangô não o aconselharia. Cor representativa de Xangô - Marrom.


 

​Cor da corda: VERDE - Categoria: ALUNO

 

- Fase Social do Negro
Fase do Negro Quilombola: Representa a alternativa de rebeldia preferida pelos negros escravos para conquistarem a liberdade. Construindo quilombos que eram comunidades independentes, cada qual com sua importância e com as suas peculiaridades.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Oxossi, que está nas matas, é um príncipe caçador e guardião das matas, onde a maioria das vezes refugiavam-se os negros.

- Relação Metafísica:
Os quilombos eram comunidades muito dinâmicas, de grande riqueza sócio-cultural. Cada quilombo tinha nas matas. Cor representativa de Oxossi: Verde.


Cor da corda: AMARELA - Categoria: MONITOR

- Fase Social do Negro
Fase do Negro Capitão de Areia: Representa a fase decorrente da promulgação da Lei do Ventre Livre em 1871, em que os filhos das negras escravas nasciam livres como as águas doces e caiam na delinqüência como as águas de cachoeira, por não terem condições de se manterem plenamente livres.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Oxum, que está nas cachoeiras, nos rios e nas águas doces. Filha mimada de Oxalá e detentora de grande beleza e encanto.

- Relação Metafísica:
A Lei do Ventre Livre representa um aspecto dúbio, em que a criança nascia livre como as águas doces das nascentes, mas caia na delinqüência e na marginalidade como as águas em queda numa cachoeira. Cor representativa de Oxum – Amarela.


Cor da corda: ROXA - Categoria: CONTRAMESTRE

- Fase Social do Negro
Fase do Negro Sexagenário: Representa a fase advinda com a vigência da Lei dos Sexagenários que, à primeira vista apresentava como uma generosa concessão, no entanto faltava ao escravo sexagenário condições de vida para exercer uma atividade lucrativa capaz de promover a sua manutenção. Conheceu a liberdade como a dos ventos e também o desafio de sobrevivência como que uma tempestade.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Iansã, uma altiva guerreira que apraz e se entrega à luta e enfrenta o perigo, está nas tempestades, vendavais e nos trovões, os quais maneja de acordo com o seu ajuizamento.

- Relação Metafísica:
A Lei dos Sexagenários promoveu uma dualidade na vida do negro; uma liberdade tão almejada e o desafio da sobrevivência na velhice. A liberdade sem berço é representada pelos ventos de origem incerta; o desafio da sobrevivência e representativa de Iansã: Roxa.


Cor da corda: VERMELHA - Categoria: MESTRE EDIFICADOR

- Fase Social do Negro
Fase do Negro Liberto: Representa a fase advinda com a vigência da Lei Áurea de 13 de maio de 1888. A sociedade da época via o negro liberto como ignorante, preguiçoso e desordeiro, de ânimo viciado e moral degenerada e o marginalizava. Este por sua vez, na busca pela sobrevivência notabilizou-se como guerreiro, participando de maltas e de empreitadas como capanga.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Ogum, que está no ferro, nos desastres, nas guerras e nas demandas espirituais.

- Relação Metafísica:
A rivalidade entre as maltas de capoeiristas eram seriíssimas e os confrontos eram sempre sangrentos, porém o agravo com a polícia era geral e bem maior. A atitude guerreira do negro liberto se ajusta ao domínio de irradiação de Ogum, ele simboliza a energia ativa. Cor representativa de Ogum – Vermelha.


Cor da corda: BRANCA - Categoria: MESTRE DIGNIFICADOR

- Fase Social do Negro
Fase do Negro Cidadão: Representa a fase em que o negro embora ainda em condição de inferioridade, de minguamento das oportunidades, consegue reconhecer-se criticamente a partir de sua inserção na sociedade e terá de conquistar seus direitos universais de cidadania.

- Domínio de Irradiação do Orixá:
O domínio fisioesotérico é de Oxalá, que tem domínio sobre a abóboda celeste, ligado ao princípio de tudo, da criação, da pureza e da paz. É o chefe supremo e pai de quase todas as divindades.

- Relação Metafísica:
Com a veiculação secular de imagens estereotipadas do negro, formou-se um racismo dissimulado em que o seu combate exige o envolvimento consciente de todos os segmentos sociais na busca de uma cidadania plena para todos. O exercício da cidadania plena está associada à universalidade de irradiações de Oxalá. Cor representativa de Oxalá – Branca.

 

A ordem crescente na hierarquia das cores é:

AZUL, MARROM, VERDE, AMARELA, ROXA, VERMELHA E BRANCA.

As cores são sete, contudo, o número de cordas de graduações são onze, isto porque na categoria de alunos é usada a corda de transição mediando a passagem de uma graduação de cor pura anterior para outra de cor pura posterior – nas graduações de contramestres e mestres são usadas somente cores puras (roxa, vermelha, branca). A ordem crescente na hierarquia das cordas de graduações é:


1. Azul
2. Azul-Marrom
3. Marrom
4. Marrom-Verde
5. Verde
6. Verde-Amarela
7. Amarela
8. Amarela-Roxa
9. Roxa
10.Vermelha
11. Branca

Para as crianças até 12 anos adotamos a seguinte seqüência:


1. Azul
2. Azul-ponteira-Marrom
3. Azul-ponteira-Verde
4. Azul-ponteira-Amarela

Após essa fase segue a seqüência normal.

O nó da corda deve ser feito buscando-se o símbolo do infinito (oito deitado).


Se for do sexo masculino deve usar o nó é do lado direito e se for do sexo feminino o nó fica do lado esquerdo.

 

Adendo

Inclusão definida no Encontro Pedagógico N'GOLO Capoeira de 2015 (não consta no livro  Idiopráxis de Capoeira - Mestre Zulu)

 

Corda Crua - Filiados 

 

Corda crua com somente uma ponteira pintada - para crianças de 02 a 05 anos.

 

Corda Crua c/ a ponteira colorida na cor correspondente à sua graduação - Reciclagem

 

CAPOEIRA - CULTURA - QUALIDADE DE VIDA - SAÚDE - ANCESTRALIDADE - RESPEITO  - PATRIMONIO IMATERIAL

© 2013 by N'GOLO CAPOEIRA. Todos direitos reservados